ccs-logo

Reunião da CARI do CCS

Calendario Anual CARI 2017

Dia 14/3, a Câmara de Relações Internacionais do CCS realizou sua terceira reunião, com o grupo de conselheiros ficando animados com as notícias que prof. Andrew apresentou da reunião da CRI-Reitoria. Finalmente está documentada no Boletim Informativo da UFRJ e no Diário Oficial a implantação da área de Relações Internacionais da UFRJ. Dessa forma, a CRI-Reitoria ocupa a mesma posição hierárquica dos Conselhos CEG e CEPG. A formalização da CRI-Reitoria teve impacto nas CRI das unidades, pois a partir de então fica garantida a solicitação de nomeação, por portaria, dos coordenadores de Relações Internacionais de cada unidade dos centros acadêmicos e a elaboração de seus regimentos.

Outra pauta importante discutida na reunião da CRI-Reitoria foi o acordo de cotutela que está em andamento, finalizando os pareceres. O coordenador da CARI do CCS reforçou a necessidade do grupo se debruçar na elaboração de ações que desenvolvam os quatro pontos basilares da estratégia da CRI-CCS:

São eles: Implementação em cada unidade da política de que cada professor crie e coordene um acordo internacional; Criação e gerenciamento de projetos de extensão na área de Relações Internacionais; Defesa de que cada coordenação tenha um orçamento próprio dentro das unidades; Geração de matérias, notas e publicações que divulguem as iniciativas na área de Relações Internacionais de todas as unidades do Centro, tanto nos veículos de informação internos quanto nas mídias externas à universidade. A parceria com a ELSEVIER vem se costurando por meio do levantamento de informações, por parte da CRI/CCS, que irão mapear o potencial de acordos internacionais, por área, entre as unidades do centro e instituições de ensino e pesquisa em todo o mundo.

A Câmara de Relações Internacionais recebeu de forma muito positiva a participação do jornalista Lenin Novaes, Assessor de Comunicação da Decania do CCS, como membro convidado, nas próximas reuniões da CARI.

Foi lançada a ideia de se dividir os conselheiros por continentes para realização de elaboração de ações de aproximação com instituições de pesquisa, ensino e consulados, de forma a que cada um atue no idioma que se sentir mais confortável.