ccs-logo

Nota de Pesar do Professor Mário Alberto Cardoso da Silva Neto

Nota de Pesar do Professor Mario Alberto Cardoso da Silva Neto 2017

A direção e o corpo social da Decania do Centro de Ciências da Saúde expressam profundo pesar e manifestam votos de condolências à família do professor Mário Alberto Cardoso da Silva Neto pelo falecimento dele, ocorrido nesta quinta-feira, 11/5. O velório às 8h e o sepultamento às 11h, serão sexta-feira, 12/5, no cemitério São Francisco Xavier.

Mário Alberto era professor associado do Instituto de Bioquímica Médica - IBqM/UFRJ, unidade acadêmica do CCS. Foi chefe do Laboratório de Sinalização Celular, diretor do Instituto de Bioquímica Médica Leopoldo de Meis (2011-2014) e integrante do Conselho de Ensino para Graduados - CEPEG.

Foi Pesquisador 2 do CNPq desde 2003. Publicou 53 trabalhos científicos completos em periódicos de circulação internacional; cinco Capítulos de Livro e foi um dos editores do Livro Tópicos Avançados em Entomologia Molecular do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Entomologia Molecular (INCT-EM). Orientou 14 Teses de Mestrado e 08 de Doutorado, alem de seis Pós-Doutores.

Era, desde 2007, Bolsista do Programa Cientista do Estado do Rio de Janeiro da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo a Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro - FAPERJ. Ele realizou estágios de Pós-Doutoramento no Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho da UFRJ (1997) e no National Institutes of Health, Bethesda, USA (2000-2001). Recebeu o Prêmio Antônio Luís Vianna concedido pela FUJB/UFRJ (1999), o Prêmio Jovem Cientista do Estado do Rio de Janeiro concedido pela FAPERJ (2000) e o Prêmio Gorgas da American Society of Tropical Medicine and Hygiene (2001).

Mário Alberto concluiu o Doutorado em 1996 no antigo Departamento de Bioquímica Medica, atualmente Instituto de Bioquímica Medica Leopoldo de Meis, onde ocupava o cargo de professor desde 1997. Seu grupo de trabalho se dedicava à identificação de novos imunomoduladores da transmissão de doenças por organismos hematófagos. O grupo tem trabalhado, em especial, com as rotas de sinalização celular relacionadas a transmissão da doença de Chagas e da dengue, usando técnicas de Bioquímica, Biologia Molecular e Transcriptomica.

Alem disso, o grupo desenvolve varias atividades de extensão destinadas a identificação de novos talentos em Ciência através do ensino e propagação da Bioquímica e da Entomologia Molecular em conjunto com a Escola Municipal Anísio Teixeira. Nesse contexto, o grupo produziu uma revista em quadrinhos sobre o centenário da Doença de Chagas em 2009, uma cartilha digital sobre a Bioquímica e Imunidade do Aedes aegypti, alem de, ministrar nos últimos 10 anos, 20 cursos de Férias sobre Entomologia Molecular para alunos e professores de escolas da rede publica do estado do Rio de Janeiro.