ccs-logo

VIVA LA MAMMA

VIVA LA MAMMA 1 2017

Marcando a 20ª montagem do projeto Ópera na UFRJ, Viva la mamma tem estréia no dia 22/6, às 19h, no Salão Leopoldo Miguez, da Escola de Música, com solistas, coro e orquestra sinfônica da UFRJ. Com entrada franca e faixa etária livre, o espetáculo é apresentado na unidade acadêmica também na sexta 23/6, às19h; sábado 24 e domingo 25, às16. Depois seguirá para a Cidade Universitária, na Ilha do Fundão, (27/6) e, ainda, os teatros municipais de Petrópolis (9/7) e Niterói (14, 15 e 16/7).

Com adaptação e tradução do maestro Ernani Aguiar, a montagem conta a história de uma companhia de ópera italiana que desembarca na cidade do Rio de Janeiro em meados do século XIX. Os conflitos e brigas de ego entre os membros da companhia, narrados ao longo dos ensaios da ópera Romolo e Ersilia, que seria apresentada no teatro imperial São Pedro de Alcântara, revelam um grupo em permanente disputa.

Foto: Eneraldo Carneiro

VIVA LA MAMMA 2 2017

CORILLA e Procolo em dueto, para desespero de Mamma Agata

O espetáculo explora, de forma cômica, a realidade e os percalços do fazer operístico da época. Na companhia temos Corilla, a Prima Donna vaidosa pelos seus dotes vocais e artísticos; Procolo, seu marido, que desempenha a função de empresário particular da esposa; Biscroma, o maestro, e Prospero, o poeta, que discutem incessantemente sobre a maior importância do texto ou da partitura; Guglielmo, um tenor alemão incorporado à companhia por acaso na viagem transatlântica, sendo que este cantor diletante não compreende muito bem nem o italiano nem o português; Luígia, a Seconda Donna do grupo, novata que está fazendo a primeira tournée profissional; Dorotea, veterana que se sente menosprezada, destinada a fazer apenas papeis secundários; o Empresário, que luta para que o espetáculo aconteça apesar do caos; o Inspetor do teatro carioca, que não aguenta tanta confusão; e por fim, Mamma Agata, uma matrona italiana intrometida, convencida de sua grande experiência como artista lírica, que se infiltra na companhia com o objetivo de ver sua filha Luígia conquistar os palcos.

Originalmente intitulada Le Convenienze ed Inconvenienze teatrali (As convenções e inconvenientes do palco), Donizetti estreou a ópera completa no Teatro della Cannobiana, de Milão, em 20 de abril de 1831. Viva la mamma é considerada a mais moderna das obras do compositor. Uma ópera onde as piadas vêm uma após a outra, dando oportunidade ao autor de parodiar o estilo musical que o fez famoso. Gaetano Donizetti, ao lado de Vincenzo Bellini e Gioachino Rossini, é um dos grandes compositores do bel canto, criando obras como L'elisir d'amore, Don Pasquale e Lucia di Lammemoor.

A atemporalidade da farsa operística é, na verdade, o que torna esta ópera tão apaixonante e atual. Além de um enredo muito divertido, o público irá apreciar a brilhante música de Donizetti no auge de sua capacidade criativa. Ambientada na cena lírica da capital do Império, certamente esta montagem agradará o público de todas as idades.

Foto: Eneraldo Carneiro

VIVA LA MAMMA 3 2017

O ESPETÁCULO reúne estudantes, docentes e técnicos das Escolas de Música, Belas Artes e Comunicação da UFRJ