ccs-logo

CCS: palco de exposição de proposta de “modelo para a formação de professores”

CCS - Palco de Exposicao de Proposta de Modelo para a Formacao de Professores 2017

Nóvoa, professor catedrático, disputou a presidência de Portugal

Por duas vezes reitor da Universidade de Lisboa, em Portugal, o professor Antonio Manuel Seixas Sampaio da Nóvoa, fez apresentação resumida da proposta “Um novo modelo institucional para a formação de professores”, 27/10, para professores - a maioria dirigente de unidades acadêmicas e de órgãos da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), entre os quais a decana do CCS, profª Maria Fernanda S. Quintela -, no Auditório Hertha Meyer do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, Bloco G, sala G1-022, no prédio do Centro de Ciências da Saúde (CCS).

Ele foi apresentado à plateia pelo reitor da UFRJ, prof. Roberto Leher, acompanhado da vice-reitora, profª Denise Nascimento, e do pró-reitor de Graduação (PR-1), prof. Eduardo Gonçalves Serra. Leher falou da trajetória da UFRJ, enfocando aspectos da sua reconhecida capacidade de ensino, pesquisa e extensão no Brasil e no estrangeiro e dos desafios em implementar a proposta de um novo modelo para formação de professores.

Em dez minutos Antonio Nóvoa - previamente já havia distribuído a proposta, impressa - explicou os pontos fundamentais do projeto, usando data-show. E boa parte da plateia se manifestou, fazendo observações para contribuir com a proposta, a começar pelo professor emérito da UFRJ, Adalberto Ramon Vieyra, oriundo do IBCCF e dirigente do Cenabio. Uma das profªs, por exemplo, relatou sobre as condições sociais precárias de alunos e familiares em escolas na região da Baixada Fluminense, onde os estudantes não almejam formação acadêmica, mas, sim, trabalhar em lojas de shoppings. Não pensam sequer em se formar em professores.

Atentos as observações, Antonio Nóvoa, também Roberto Leher, anotava todas as observações pertinentes à proposta de “Um novo modelo institucional para a formação de professores”. A continuidade da discussão sobre o assunto se dará com os entendimentos que a direção central da UFRJ definir o com o professor português.

TRAJETÓRIA DE NÓVOA

O professor catedrático Antonio Nóvoa, que nasceu na cidade de Valença e completará 63 anos em 12 de dezembro, concorreu à presidência da República de Portugal como candidato independente, em 2016. Ele é doutor em Ciências da Educação (Universidade de Genebra) e História Moderna e Contemporânea (Paris-Sorbonne). Atualmente, é professor do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa e reitor honorário da universidade. É autor de mais de 150 publicações, entre livros, capítulos e artigos, editadas em 12 países. As suas investigações e interesses incidem sobre história e psicologia da educação, educação comparada e formação de professores.

Entre 1996 e 1999 foi consultor para os assuntos da educação da Casa Civil do presidente da República Jorge Sampaio e presidente da International Standing Conference for the History of Education, ISCHE, de 2000 a 2003. No ano de 2006 completou o segundo doutoramento, na Universidade de Paris IV (Paris-Sorbonne), em História Moderna e Contemporânea. Quando exercia a função de professor na Universidade de Columbia, em Nova Iorque, em 2002, foi convidado para vice-reitor da Universidade de Lisboa por José Barata-Moura. E eleito reitor em maio de 2006. 

Em novembro de 2008, no meio do primeiro mandato, demitiu-se do cargo no contexto da reforma estatutária da universidade. Foi reeleito em 12/3/2009, conforme os novos requisitos legalmente estabelecidos. Ele promoveu e liderou, a partir de 2012, com o reitor da Universidade Técnica de Lisboa, António Cruz Serra, o processo de fusão da Universidade de Lisboa (mais conhecida por Clássica) com a Técnica, dando origem à nova Universidade de Lisboa.

Em 2014, esteve no Brasil numa missão internacional da UNESCO junto do governo brasileiro e como professor visitante na Universidade de Brasília, da qual é Doutor Honoris Causa desde Junho de 2015. Para além de inúmeras colaborações regulares nos programas de doutoramento de universidades estrangeiras como a de Barcelona, Genebra, Montreal, São Paulo, entre outras, foi professor convidado da Universidade de Wisconsin-Madison (1993/94) e da Universidade de Columbia, em Nova Iorque (2002). Em 1995 foi investigador visitante, durante um semestre, do Institut national de recherche pédagogique da Universidade de Paris V (Paris Descartes) e, em 2001, da Universidade de Oxford.

É reitor honorário da Universidade de Lisboa, desde fevereiro de 2014. É diretor da iniciativa Políticas Públicas ULisboa, desde setembro de 2014 a abril de 2015. É membro do Conselho das Ordens Honoríficas de Mérito Civil e, desde 24 de julho de 2008, acadêmico correspondente da Academia das Ciências de Lisboa, na classe de Letras, 3.ª secção, de Filosofia, Psicologia e Ciências da Educação. É Doutor Honoris Causa pela Universidade do Algarve desde Maio de 2015.