ccs-logo

MENÇÃO HONROSA PARA O NUPEM

Mencao Honrosa para o NUPEM 2017

A distinção foi oferecida durante o XIII Congresso de Ecologia do Brasil e III International Symposium of Ecology and Evolution, ocorrido de 08 a 12 de outubro de 2017, na Universidade Federal de Viçosa, em Minas Gerais.

O XIII Congresso de Ecologia do Brasil foi realizado no período de 8 a 12/10, na Universidade Federal de Viçosa, em Minas Gerais, e teve como tema “Múltiplas ecologias: evolução e diversidade”, em conjunto com o III International Symposium of Ecology and Evolution (III EcoEvol). O evento contou com apresentações de mini-cursos, plenárias, mesas-redondas, apresentações orais e de painéis que abordaram temas de interesse dos ecólogos do Brasil nas grandes áreas de ecologia teórica e aplicada. Durante o evento, Naiara Campos Viana, bióloga e técnica do NUPEM/UFRJ, apresentou o trabalho "Dinâmica Temporal e Espacial da Morfologia e Fotossíntese em Pleopeltis minima (POLYPODIACEAE) durante a Dessecação", desenvolvido conjuntamente com os Profs. Drs. Heitor Monteiro Duarte e Carlos Alberto de Moura Barboza, do NUPEM/UFRJ, com a Profª Drª Lana da Silva Sylvestre (CCS/UFRJ) e com o aluno da UFRJ, Luan Gonçalves Castilho (IC, NUPEM/UFRJ). O trabalho foi agraciado com Menção Honrosa no evento, por ter sido considerado digno de citação e registro pelo seu mérito acadêmico. As análises utilizadas no trabalho apresentado combinaram diferentes técnicas para analisar a morfoanatomia bem como aspectos da fisiologia da fotossíntese da Pleopeltis minima. Uma dessas técnicas, que produz imagens da eficiência da fotossíntese, utilizou equipamento desenvolvido inteiramente no NUPEM/UFRJ e constitui o primeiro dessa natureza produzido no Brasil. Os resultados mostram detalhes importantes no processo de aclimatação à dessecação na espécie de samambaia Pleopeltis minima capaz de sobreviver durante meses em estado de quase completa desidratação.

O corpo social do NUPEM/UFRJ parabeniza os envolvidos na pesquisa e deseja sucesso em seus novos projetos!

SEMANA DE INTEGRAÇÃO ACADÊMICA

Semana de Integracao Academica 2017

A  8ª Semana de Integração Acadêmica da UFRJ - 8ª SIAc/UFRJ-2017 - teve abertura oficial no dia 23/10, no Auditório Horácio Macedo (Roxinho), no Campus da Cidade, na Ilha do Fundão, e se estenderá até o dia 28/10, com várias atividades englobando a 39ª Jornada de Iniciação Científica, Tecnológica, Artística e Cultural (JICTAC); 14º Congresso de Extensão; Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT/UFRJ); 9ª Jornada de Pesquisa e Extensão da UFRJ-Macaé e 4ª Jornada de Formação Docente – PIBID.

Veja os eventos na programação.

CIENTISTAS MUNDIAIS EM ÁREAS DE FRONTEIRA

Cientistas Mundiais em Areas de Fronteira 2017

Erick e Wendy Schmidt, em parceria com a Rhodes Trust, lançaram um programa de pós-doutorado cujo objetivo, conforme declarado, é o de expandir os horizontes da próxima geração de líderes nas ciências naturais, engenharia, matemática e computação, por meio do desenvolvimento dos mais proeminentes cientistas mundiais em áreas de fronteira. A UFRJ foi selecionada entre poucas universidades mundiais para indicar até 5 (cinco) candidatos, os quais devem ser doutores pela UFRJ formados entre maio de 2017 e previsão de término até julho de 2018. Para se inscrever no processo seletivo interno, os candidatos devem enviar, até o dia 9 de novembro de 2017, o CV Lattes, um texto de meia página justificando o interesse pela candidatura e uma carta de recomendação para o e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. . A indicação dos candidatos da UFRJ será feita pela PR2/UFRJ, após escolha feita por uma comissão específica. Conforme declarado na chamada, os candidatos devem se destacar academicamente e estar interessados em trabalhar em área diferente do seu doutorado. A bolsa será no total de 100 mil dólares americanos para cada candidato selecionado, com a duração de 11 meses, no mínimo.

Maiores detalhes no endereço:

https://schmidtsciencefellows.org/

Arte Sem Fronteiras

 Arte Sem Fronteiras 1 2017

No dia 25/10, às 12 horas, no Teatro de Arena do Centro de Ciências da Saúde da UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro, será realizado o encontro Arte Sem Fronteiras. É uma iniciativa que compreende vivência, enlace, cooperação e troca de conhecimento, sobre a arte e o labor artístico.

O evento está focado no bem-estar, no fortalecimento e valorização das práticas artísticas, na sinergia, na coletividade, na relação intermunicipal, na produção colaborativa, no acesso a arte e na cultura de paz. A proposição pode acontecer e se desenvolver ou manifestar de diferentes formas em cada localidade.

Arte Sem Fronteiras faz parte do movimento Diálogos Sem Fronteiras e do SIMAAS, experiências de cooperação latino-americanas iniciadas nos anos 80, quando atores sociais, ambientalistas e pessoas que pensavam a possibilidade de um mundo melhor se uniam num movimento de transformação. Arte Sem Fronteiras trata do encontro de artistas, brincantes, públicos e atores do cenário artístico; e da celebração, vivência e confluência de manifestações artísticas, especialmente na América Latina, com o propósito de realizar encontros e atividades artísticas livres, plurais e associativas, contribuindo, assim, com o papel maior de democratização do conhecimento, da arte e da cultura, nas suas formas mais distintas.

UTOPIA - Celebrar. Pelos caminhos, nos eixos de fluxos territoriais entre o Pacífico e o Atlântico Sul, como na utopia indígena latino-americana da busca da "Terra sem Mal". O território mágico, morada ancestral, descrito como lugar de abundância e alegria, onde as lavouras cresciam sem serem plantadas e onde a morte era desconhecida.

SIMAAS - Os fóruns sucessivos realizados em 1992 (Rio’92 e Potosí´92) permitem a convergência de movimentos criados e desenvolvidos nos anos 1980 com a retomada dos sistemas políticos democráticos na região. Esses fóruns dão origem à meta-rede Diálogo Sem Fronteiras, respondendo à ‘Carta da Terra’ e ao ‘Programa 21 da ONU’.Dessa meta-rede participam desde então municípios, associações intermunicipais, microrregiões, comitês de bacias hidrográficas, organismos públicos, instituições de ensino médio, superior e tecnológico, grêmios, cooperativas, câmaras empresariais e organizações sociais, com a missão de divulgar e multiplicar a implantação das Agendas 21 Locais.

O SIMAAS – Sistema Intermunicipal de Cooperação Tecnológica América Área Sul, é uma iniciativa do Diálogo Sem Fronteiras, apresentada em Niterói (outubro de 1997), inaugurando na UFF – Universidade Federal Fluminense uma sequência de encontros intermunicipais e regionais que derivaram na gestação de uma ação continuada denominada Território Sem Fronteiras. A mesma se consolidou com a Carta de Niterói, durante a Conferência Rio+20 da ONU (junho’2012), definindo como objetivo geral desenvolver um sistema fractal de cooperação global e solidariedade tecnológica, articulando municípios, cidades médias e territórios subnacionais com uma logística capaz de garantir um conhecimento ao alcance da base social de cada comunidade.

 

Arte Sem Fronteiras 2 2017

ZANZIBAR – GRUPO VOCAL

 

Como parte do evento Arte Sem Fronteiras haverá a apresentação do grupo vocal Zanzibar, composto por seis vozes e percussão. Formado em 2013 conquistou o terceiro lugar no Concurso Nacional Brasil Vocal - CCBB, na categoria Novos Grupos Vocais. Integram o grupo Anna Coelho (diretora musical e preparadora vocal), André Miranda, Beatriz Coimbra, Gabriel Farah, Guilherme Imia e Marina Chuva (percussionista).

Zanzibar tem repertório variado, com foco na MPB, e conta com arranjos em sua maioria inéditos feitos pelo próprio grupo, assim como de arranjadores como André Miranda, André Protasio, Anna Coelho, Augusto Ordine, Jaques Morelenbaum, Maurício Detoni e Zeca Rodrigues.

O grupo já se apresentou em diversos espaços no Rio de Janeiro, como Teatro Municipal Serrador, Centro Cultural de Referência da Música Carioca Arthur da Távola, Centro Cultural Municipal Parque das Ruínas, Espaço Cultural Humberto Braga (Tribunal de Contas do Estado), Centro Cultural Banco do Brasil, Sala Funarte Sidney Miller, Casa da Gávea, auditório da FACHA (Faculdades Integradas Hélio Alonso), Casa de Festas e Eventos Lajedo, palco na Praça XV (Rio de Janeiro), dentre outros.

Em outubro de 2016 o grupo lançou o primeiro CD (homônimo), em show com participações especiais de Jaques Morelenbaum e Domingos Teixeira. O disco traz arranjos vocais inéditos, escritos para seis vozes a cappella, com acompanhamento de percussão. São músicas de autoria de Milton Nascimento, Edu Lobo, Guinga, Luiz Gonzaga, Mutantes, entre outros. Em janeiro de 2017, o disco ganhou resenha no website da revista japonesa Latina e passou a ser vendido no Japão, assim como em diversos estados do Brasil.

Cartaz do evento em anexo.

CICLO DE DEBATES DO CBAE

Ciclo de Debates do CBAE 2017

Nos dias 23 e 24 de outubro, o sociólogo e filósofo italiano Maurizio Lazzarato estará presente no ciclo de debates organizado pelo Colégio Brasileiro de Altos Estudos em parceria com o PPGSA-UFRJ, o Departamento de Sociologia e Metodologia da UFF e o PPGS-UFF. As duas sessões tratarão das questões do desmonte do Estado de Bem-Estar Social e da relação entre governança e dívida pública.

A primeira atividade, "Governar pela Dívida ou a Fábrica do Homem Endividado", vai acontecer no ICHF, Bloco O do Campus Gragoatá, às 17h do dia 23 de outubro. Já a segunda, “Atualidade do neoliberalismo e o desmonte do Estado de bem-estar social”, será realizada no Colégio Brasileiro de Altos Estudos, às 18h do dia 24/10.

Lazzaroto é pesquisador da CNRS - Universidade Paris I e membro da Escola Internacional de Filosofia. Também é fundador e integrante do conselho editorial da revista Multitudes. Sua contribuição se concentra na ontologia do trabalho e nas temáticas capitalismo cognitivo, trabalho imaterial e movimentos pós-socialistas. É autor do livro Signos, Máquinas, Subjetividades.

No CBAE, foram convidadas as professoras Lena Lavinas e Tatiana Roque como debatedoras. Lavinas é doutora em Economia pela Universidade de Paris e professora do Instituto de Economia da UFRJ. Tatiana possui doutorado em História das Ciências e da Técnica e Epistemologia e é professora do Programa de Pós-Graduação em Filosofia.