ccs-logo

Posse direção do ICB

 

O reitor da UFRJ, prof. Carlos Levi, e a decana do CCS, profª Maria Fernanda, estarão na cerimônia de posse dos profs. Luiz Eurico Nasciutti e José Garcia Ribeiro Abreu Junior, respectivamente, nos cargos de diretor e de vice-diretor do Instituto de Ciências Biomédicas, que se realizará às 10 horas do dia 29 de abril, quarta-feira, no Auditório do Bloco N, anexo ao prédio do Centro de Ciências da Saúde. Após a cerimônia haverá coquetel no novo prédio do ICB (continuação do Bloco F), que corresponde à primeira etapa já concluída do projeto "Integração Básico Clínica: Mais Pesquisa para Saúde CCS/UFRJ". Nesta ocasião, os convidados terão a oportunidade de conhecer as novas instalações que compreenderão área administrativa, biotério e laboratórios de pesquisa. Este projeto representa uma grande conquista para o ICB.

 

Clique aqui para visualizar o convite para o evento.

Eleição para Reitor da UFRJ

 

Com divulgação do resultado dia 17/4, nos dias 14, 15 e 16 de abril (terça, quarta e quinta-feira), haverá votação (o processo eleitoral, oficialmente, denomina “pesquisa”) para escolha do próximo Reitor da UFRJ. São três os concorrentes. Chapa 10 – “Juntos pela UFRJ: Unidade na adversidade”, encabeçada pela profª Ângela Rocha dos Santos (Instituto de Matemática), tendo como candidato a Vice-reitor o prof. Carlos Rangel Rodrigues (Faculdade de Farmácia);Chapa 20 – “UFRJ autônoma, crítica e democrática”, encabeçada pelo prof. Roberto Leher (Faculdade de Educação), tendo como candidato a Vice-reitora a profª Denise Fernandes Lopes Nascimento (Faculdade de Odontologia); e Chapa 30 – “Somos todos UFRJ”, encabeçada pela profª Denise Pires de Carvalho (Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho), tendo como candidato a Vice-reitor o prof. Walter Issamu Suemitsu (Escola Politécnica). Se houver segundo turno,os dias 27, 28 e 29 de abril ficam reservados para um novo período de campanha, com debates. E uma nova “pesquisa”, neste caso, ocorrerá nos dias 4, 5 e 6 de maio, com a divulgação de resultados no dia 8/5.

 

 

 

 

O colégio eleitoral, ou o universo da “pesquisa”, é constituído de docentes e técnico-administrativos em educação ativos do quadro de pessoal da Universidade Federal do Rio de Janeiro, aposentados contratados na forma da Resolução nº 08/2008-Consuni (colaborador voluntário) e professores eméritos; os estudantes dos cursos de graduação (presencial e à distância), de pós-graduação (stricto sensu) e de pós-graduação (lato sensu) com carga horária mínima de 360 horas e com matrícula ativa à época da “pesquisa”; os estudantes do Colégio de Aplicação da UFRJ, com matrícula ativa à época da “pesquisa”, com 16 anos completos, até a data do primeiro turno.

Os candidatos cumpriram agenda de debates, ocorridos no Centro Cultural Professor Horácio Macedo (25/3), na Cidade Universitária; no Salão Pedro Calmon (26/3), na Praia Vermelha; no Campus Professor Aloisio Teixeira (31/3), no Auditório Cláudio Ulpiano, em Macaé; no Centro de Ciências da Saúde (CCS), no Auditório Professor Roldolpho Paulo Rocco (7/4); e no Pólo UFRJ-Xerém (9/4), no Município de Duque de Caxias.

Também, representantes das três chapas fizeram exposição dos programas de gestão, em dias alternados, em sessões extraordinárias do Conselho de Coordenadores do Centro de Ciências da Saúde (CCS), tendo a participação de docentes, técnico-administrativos e alunos, além de representantes da Adufrj, Sintufrj e DCE.

Confira todos os detalhes dos programas de gestão nos seguintes links: Blog da Chapa 10 – Blog da Capa 20 – Blog da Chapa 30

 

Aula inaugural da pós-graduação da FO

 

O prof. Carlos José Soares ministrou aula para a pós-graduação da Odontologia

 

 

O prof. Carlos José Soares, Coordenador da Área de Odontologia na CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, ministrou a Aula Inaugural da pós-graduação da Faculdade de Odontologia da UFRJ, dia 1/4, no Auditório Hélio Fraga, no prédio do CCS - Centro de Ciências da Saúde. Em seguida se reuniu com os docentes da pós-graduação e com os coordenadores de pós-graduação Strícto Sensu das outras IES do Rio de Janeiro. Na abertura do evento, a profª Laura Primo falou sobre “Integração do Corpo Docente e Discente na Elaboração da Coleção Odontologia Integrada”.

Palestras na Farmácia

O Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas da UFRJ vai realizar seminário científico, tendo como palestrante a profª Lúcia Maria Jaeger de Carvalho (FF/UFRJ), que irá falar sobre "Estratégias para a melhoria nutricional de matérias-primas", nesta quinta-feira (9/4), às 12 horas, na Sala Professor Ronaldo de Miranda Carvalho, localizada no Prédio Prof. Levy Gomes Ferreira, da Faculdade de Farmácia. A direção da unidade acadêmica lembra que a palestra conta presença para as disciplinas "Seminários I (FFF707" e Seminários III (FFF804)". O mesmo critério vale  para os pós-graduandos do PPGCTF - "Seminário (CTF701" e Seminário II (CTF726)", em relação à palestra da profª Aloa Machado de Souza (FF/UFRJ), " Utilização do Peixe Zebra como modelo para ensaios farmacológicos e toxicológicos", que se realizará às 17 horas, também nesta quinta-feira, naquele mesmo local acima.

Marcos Ariel faz show no palco da Arena CCS

 

Às 12 horas do dia 8/4, quarta-feira, o pianista, flautista e compositor Marcos Ariel volta a se apresentar no Teatro de Arena do CCS, desta vez com show em homenagem o saudoso flautista, saxofonista, compositor e arranjador Alfredo da Rocha Vianna Filho, conhecido como Pixinguinha. Imperdível!

Marcos Ariel iniciou sua carreira profissional em 1976 como integrante do grupo Cantares, atuando durante três anos, ao lado de Zé Renato, Juca Filho e Antonio Sant'Anna. Com 38 anos de carreira e mais de 20 discos lançados, ele, através do seu primeiro disco intitulado “Bambu” de 1981, foi logo contemplado com o Prêmio Chiquinha Gonzaga, sendo esse disco, mais tarde, lançado na França, em 1986.

O disco “Terra do Índio”, de 1988, foi eleito pela revista Jazziz como um dos melhores discos do Jazz nos Estados Unidos. A partir de 1989, Marcos Ariel passou a dividir a sua carreira entre o Brasil e os EUA. Em 2000, pela Rob Digital, lançou “Piano com Tom Jobim”, homenagem ao inesquecível compositor e, em 2004, o  “Diplomatie”, um dueto com o saxofonista canadense Jean Pierre Zanella, e no ano seguinte o “Marcos Ariel & Tigres da Lapa”, onde ele explorou o seu lado flautista, tocando choro, maxixe e valsa, tendo as companhias de José Paulo Becker (violão) e Beto Cazes (percussão), e com a participação especial de Juarez Araújo (sax tenor) e Henrique Cazes (cavaquinho).

Em 2007 lançou o cd “4 Friends”, tendo João Baptista (contrabaixo), Ricardo Silveira (guitarra) e Jurim Moreira (bateria), tocando suas composições “Canto da Paz”, “Bossa Love”, “Ipanema Curves”, “Don Azimuth”, “Passionate Eyes”, “Maracajazz”, “Le Café”, “Afternoon Breeze”, “Yellow Train”, “Rhapsody In Rio” e “Summer Happiness”. Paralelamente, ao seu trabalho solo, atuou de 1986 a 1991 com a Banda Zil, ao lado de Zé Renato, Claudio Nucci, Ricardo Silveira, Zé Nogueira, Jurim Moreira e João Batista.

Gravou, com a banda, o LP "Zil", lançado pela Continental em 1987. No ano seguinte foi relançado em CD, pela PolyGram americana, nos Estados Unidos, Europa e Japão, acrescido da faixa "Zarabatanat" (Zé Renato). A apresentação que Marcos Ariel costuma fazer em seus shows tem como repertório a Bossa Nova, onde apresenta homenagem a Tom Jobim. Nessas ocasiões, Marcos Ariel também interpreta clássicos do Jazz de forma inovadora no ritmo de Choro. A característica mais marcante nas apresentações musicais de Marcos Ariel é seu poder de interação com a plateia, experiência que desenvolveu em seu trabalho como apresentador de programa de rádio (Globo FM). Além de virtuoso instrumentista, ele revela-se comunicador excepcional que entretém a plateia de forma descontraída, transmitindo informações extremamente interessantes do universo da música.