ccs-logo

Os diferentes aspectos da Revolução Russa

Os diferentes aspectos da Revolucao Russa 2017

A exposição A Revolução em Imagens amplia o debate sobre os 100 anos da Revolução Russa, já em exibição, e cobrirá em atenção, nos dias 7 e 21 de junho, dois seminários com a presença de professores, pesquisadores e especialistas que a Decania do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) realizará. O objetivo é discutir diferentes aspectos deste fato histórico que influenciou os rumos de todo o século XX. Na contemporaneidade, a questão que se coloca é de que maneira o legado daquele movimento de trabalhadores, intelectuais, artistas e demais atores sociais contribuirá para a redefinição geopolítica e para a luta de classes no século XXI em um momento de inegável crise do modo de produção capitalista.

Na parte da manhã do dia 7, os professores Lincoln de Abreu Pena (UFRJ), Henrique Canary (USP), Carlos Serrano Ferreira (UFRJ) e Graziela Schneider Urso (UFRJ) debatem “A história da Revolução Russa (1917-24). À tarde, os professores Anita Leocádia Prestes (UFRJ), José Paulo Netto (UFRJ) e Carlos Addor (UFF) participam da mesa “A Revolução Russa e Brasil”. Também estão confirmados os lançamentos dos livros “A revolução das mulheres: emancipação feminina na Rússia soviética: artigos, atas, panfletos e ensaios”, organizado por Graziela Schneider Urso; e “Olga Benario Prestes: uma comunista nos arquivos da Gestapo”, de Anita Leocadia Prestes.

Já no dia 21, a programação da manhã terá a mesa “Revolução e o mundo”, que contará com a presença dos professores Marcelo Bráz (professor da Escola de Serviço Social da UFRJ), Carlos Eduardo Martins (sociólogo e professor de Economia Política Internacional da UFRJ), Eduardo Serra (pró-reitor de Graduação da UFRJ e integrante do Partido Comunista Brasileiro) e Vantuil Pereira (historiador e diretor do Nepp-DH/UFRJ). Na parte da tarde, a mesa “Perspectivas do socialismo contemporâneo” contará com a presença dos professores Valério Arcary (Instituto Federal de São Paulo) e Juliano Medeiros (historiador, doutor em Ciência Política e professor da Fundação Lauro Campos).

Local: Auditório Professor Manoel Maurício de Albuquerque

 

A revolução em imagens

 

O Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) está realizando, no período de 3 de maio a 28 de julho, o evento “Revolução em Imagens”, que consiste na exposição de fotografias e cartazes e na exibição de filmes seguida de debates sobre a Revolução Russa de 1917. No acervo estão cerca de 30 imagens impressas e cerca de outras 50 em mídias audiovisuais, sobre o tema. O material encontra-se em exibição no Espaço Memória, Arte e Sociedade Jessie Jane Vieira de Souza, localizado no 2º andar do prédio da Decania do CFCH.

São realizadas visitas guiadas com estudantes da rede estadual nos períodos da manhã e da tarde. Em todas as “Quartas Vermelhas” acontecem sessões de filmes sobre a Revolução de 1917 seguidas de debates com especialistas e o público.

Além de buscar uma troca de saberes interdisciplinares entre diversas unidades da comunidade universitária, as atividades têm essencialmente um caráter extensionista por meio da interlocução com escolas de ensino médio, movimentos sociais e entidades de classe.

Confira cartaz e programação completa em anexo.

Conhecendo a UFRJ

Foto: Diogo Vasconcellos - CoordCOM/UFRJ

Conhecendo a UFRJ 2017

No período de 23 a 25/5 foi realizado o projeto Conhecendo a UFRJ, tendo como objetivo orientar os estudantes sobre cursos e possibilidades da Universidade. A mesa de abertura foi composta pelo reitor da UFRJ, pró-reitores de Graduação, Pós-Graduação e Extensão, pela superintendente da Superintendência-Geral de Políticas Estudantis, além de representantes do Centro de Ciências da Saúde e da Escola de Educação Física e Desportos, unidade acadêmica do CCS que sediou o evento.

Os discursos de abertura enfatizaram que a UFRJ deve ser pública, gratuita, de qualidade e crítica, a fim de garantir uma sociedade mais justa. O reitor Roberto Leher destacou a importância do evento no calendário acadêmico e o papel da instituição na formação dos jovens e do país.

- “A UFRJ - disse ele - é o lugar de lutarmos por nossos sonhos e está voltada, sobretudo, para a produção de arte, ciência, tecnologia e do estímulo ao pensamento crítico. Nós não estamos olhando para o mercado; precisamos de artistas, enfermeiros, médicos, filósofos etc. que possam produzir conhecimento para mudar a história.”

A pró-reitora de Extensão, Maria Malta, deu boas-vindas ao público e ressaltou que a UFRJ está de portas abertas. Para ela, “a UFRJ não é feita somente de salas de aula, mas também de construção e colaboração. Aqui é o espaço onde o saber se aprofunda, pois a informação é dada de maneira colaborativa. É o espaço onde se exercitam a democracia e a curiosidade.”

O projeto atendeu a expectativa de público, com mais de 70 estandes sobre os cursos oferecidos pela Universidade, com oficinas de Testes de Habilidades Específicas (THE), palestras, visitas guiadas e atividades artísticas na Tenda Cultural.

Seminários LASSBio

Seminarios LASSBio - Trilhando doces caminhos em busca de novos alvos para quimio do cancer 2017

“Trilhando doces caminhos em busca de novos alvos para a quimioterapia do câncer” é tema da palestra da professora Adriane Todeschini dentro do Programa de Seminários LASSBio, que será realizado às 16 horas do dia 29/5, segunda-feira, no Auditório da Farmacologia, no 1º andar do Bloco J, do prédio do CCS.

Escola de Enfermagem inaugurou museu

Escola de Enfermagem inaugurou museu 2017

Em comemoração aos 90 anos do prédio do Pavilhão de Aulas (PA) da Escola de Enfermagem Anna Nery, unidade acadêmica do Centro de Ciências da Saúde (CCS), foi inaugurado, 22/5, o Museu da EEAN/UFRJ. O espaço conta com uniformes, utensílios e manuais da profissão, e ainda homenageia nomes importantes dessa história, como Carlos Chagas e Florence Nightingale. Paralelo a isso, o Centro de Documentação (Cedoc) da escola foi reaberto, após expansão e modernização. Com um acervo desde a década de 20 do século passado, o local dispõe de fotografias, documentos escritos, orais e audiovisuais.

A fundação da instituição, em 1923, partiu da reforma sanitária liderada por Carlos Chagas. E nesses 94 anos dedicados ao ofício tem acumulado marcos históricos. Além de ter sido a primeira a implantar, no Brasil, o modelo de ensino e assistência da enfermagem nos moldes científicos de Nightingale, a EEAN foi o berço da Associação Brasileira de Enfermagem (ABEn) e a pioneira na incorporação universitária e na instauração do programa de pós-graduação stricto sensu na área.

Para Neide Titonelli, diretora da EEAN, o próprio Pavilhão de Aulas se constitui num museu, pela sua natureza histórica e importância para a comunidade. A construção integra a lista de prédios da UFRJ tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). “A escola tem sua sede num patrimônio histórico da enfermagem, da saúde e, especialmente, da UFRJ”, observou.

Maria Angélica Peres, professora e coordenadora do Cedoc, afirma que “o museu e o centro são espaços de preservação da memória, pois é de suma importância para a UFRJ ter, entre suas unidades acadêmicas, uma instituição que é o berço da ciência da enfermagem e preservar e pensar no que de melhor podemos fazer para o futuro.”

Os espaços ficam abertos ao público para visitação, que percorre o Pavilhão de Aulas, o museu, o Centro de Documentação e a Maternidade Thompson Motta, prédio tombado do complexo EEAN. Para visitas realizadas de segunda a sexta-feira, o agendamento deve ser feito pelo email O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. , com pelo menos uma semana de antecedência. As visitas sem agendamento ocorrem às terças e sextas-feiras, das 9h às 17h. Adânia Souza (bolsista da COORDCOM/UFRJ)

Workshop Pensando Fora da Caixa

I Workshop pensando fora da caixa 2017

Pensando fora da caixa é título do primeiro workshop dos pós-doutores do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho – IBCCF -, sendo evento pioneiro no Estado do Rio de Janeiro, segundo seus organizadores Áislan Vivarini, Aline Marie, Cherley Borba, Daniele Kasper, Érica Martins Duarte, Flavia Bloise, Miria Gomes Pereira e Rosiane Miranda, que contam com o apoio da direção da unidade acadêmica vinculada ao Centro de Ciências da Saúde – CCS.

O evento será realizado no período de 11 a 14 de julho, de 9 às 17 horas, no Auditório Hertha Mayer, bloco G1-22, no prédio do CCS, tendo como público alvo alunos de pós-graduação em biociências e áreas correlatas, além de estudantes de graduação que pretendem ingressar na pós-graduação. Procurando abranger temas dos programas de pesquisa do IBCCF, o workshop estará aberto também a toda a comunidade científica, representantes de órgãos governamentais, organizações não governamentais, empresas privadas e profissionais liberais interessados. 

Na programação, palestras e mesas-redondas sobre temas diversos na área de biociências. Os organizadores afirmam que serão realizados debates sobre temas atuais e multidisciplinares, tais como o surto de Zika no RJ, epigenética, origem da vida e ecologia. Também serão abordadas palestras sobre novas tecnologias e técnicas para o desenvolvimento da pesquisa de forma multidisciplinar. Sendo assim, o workshop estimulará a formação científica de pós-graduandos, favorecendo o estabelecimento de redes de colaboração regional.

Detalhes: https://www.workshopposdocsibccf.com/programacao.