ccs-logo

PEQUENO MANUAL DE BONS COSTUMES NO LABORATÓRIO DE PESQUISA

Pequeno Manual de Bons Costumes no Laboratorio de Pesquisa 2017

Em noite de autógrafos, no dia 22/9, sexta-feira, a partir das 17 horas, na Casa da Ciência, na Rua Lauro Müller, perto do Shopping Rio Sul, o professor Franklin David Rumjanek, do Instituto de Bioquímica Médica da UFRJ, estará lançando o livro Pequeno Manual de Bons Costumes no Laboratório de Pesquisa. Trata-se de importante publicação, que teve revisão e contem ilustração do professor Francisco Prosdócimi (ICB), à qual podemos compreender através da sinopse: "o texto é ilustrado com bom humor e apresenta brevemente um manual de etiqueta acadêmica que recomenda regras de convívio para ambientes especiais como o laboratório de pesquisa. Não é um texto de autoajuda. É informativo. O manual é de interesse direto para aqueles estudantes universitários de graduação, ou pós-graduação que ingressam em espaços de pesquisa de laboratório. O manual é um acessório que discute principalmente como o estudante deve portar-se frente aos seus colegas, técnicos e orientadores de maneira a conduzir seu trabalho de maneira harmoniosa. O manual não é técnico, isto é, não visa esclarecer como elaborar protocolos experimentais e/ou como investigar este assunto ou aquele. Ele descreve a textura social de um ambiente essencialmente competitivo e sugere regras simples do tipo o que fazer e o que não fazer, cuja adoção deverá facilitar bem a inserção dos estagiários nesse aparentemente complexo e tenso cenário do laboratório de pesquisa. O objetivo é facilitar as relações no laboratório, torná-las agradáveis e, sobretudo produtivas".

Cartaz em anexo.

GALERIA CURTO CIRCUITO DE ARTE PÚBLICA

Galeria Curto Circuito de Arte Publica 2017

O Parque Tecnológico da UFRJ inaugura no dia 21/9 a Galeria Curto Circuito de Arte Pública, uma parceria da instituição com a Escola de Belas Artes (EBA/UFRJ) e a empresa Vallourec. Ao longo dos 350 mil metros quadrados do Parque ficarão expostas 13 obras de arte de professores e alunos da EBA e de artistas reconhecidos nacional e internacionalmente como Gilberto Lustosa, Paulo Laender e Leandro Gabriel. A ideia do projeto é transformar o Parque em uma área de experimentação da arte aliada à tecnologia e inovação. Além destas obras, a galeria contará com 24 esculturas da exposição “Memórias do Boto” e um pavilhão com intervenções desenvolvidas pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU/UFRJ). A experiência de visitação será enriquecida com soluções de realidade virtual e aumentada, criadas pelo Grupo de Realidade Virtual Aplicada do Laboratório de Métodos Computacionais em Engenharia LAMCE/COPPE. A galeria será permanente, aberta ao público, com visitação gratuita.

A maior parte das obras será interativa e algumas peças poderão ser usadas como mobiliário urbano pelos visitantes e funcionários do Parque e de suas empresas. Entre elas, a obra “No vaivém do ir e vir”, onde cinco bicicletas estilizadas penduradas em um cabo de aço poderão ser retiradas e conduzidas pelas ciclovias do Parque. Há ainda a obra “Qual é o tamanho do vazio?”, que parece ser um simples binóculo posicionado no Parque e voltado para o prédio da Escola de Belas Artes/Reitoria, mas que, por meio de tecnologia, não mostra a imagem que verdadeiramente está lá.

A empresa Vallourec, que possui um de seus dois centros de pesquisa, desenvolvimento e inovação no Brasil instalado no Parque - o Vallourec Competence Center – Rio, foi a responsável por trazer para a Galeria as obras de arte de artistas mineiros de renome internacional. Pelas ruas do Parque estarão obras de Gilberto Lustosa, Paulo Laender e Leandro Gabriel. Para Hildeu Dellaretti, superintendente de Relações Institucionais  da Vallourec, investir em iniciativas culturais é uma maneira de potencializar a inovação, um dos pilares da empresa: “Contatos com a arte e com a cultura ampliam os horizontes das pessoas e trazem novas perspectivas de reflexão e atuação. Por isso, o incentivo a projetos como este é também uma forma de promover a inovação. Além disso, faz parte da identidade da Vallourec no mundo e, especialmente no Brasil, apoiar projetos culturais, valorizar e abrir espaço para a promoção do trabalho de artistas nacionais e em particular do Rio de Janeiro e de Minas Gerais”.

Na opinião do diretor do Parque Tecnológico da UFRJ, José Carlos Pinto, "a inauguração da Galeria faz parte da estratégia da instituição de promover a interação entre a universidade e empresas por meio da inovação, além de transformar o Parque em um espaço mais criativo e agradável: A inauguração da Galeria marca um novo momento para o Parque, onde a integração entre a universidade e empresas ultrapassa as barreiras de projetos acadêmicos e passa a ser fundamental para o processo de inovação. Queremos oferecer a todos um ambiente pulsante e criativo, unindo arte, tecnologia e inovação”.

Evento de inauguração

Dia 21 de setembro, às 9h30, no auditório do Parque Tecnológico da UFRJ. Na data, haverá uma mesa redonda sobre a arte, tecnologia e inovação com especialistas e visita guiada à Galeria. 

Sobre a Vallourec             

O grupo francês Vallourec está presente em mais de 20 países. No Brasil, por meio da Vallourec Soluções Tubulares do Brasil (VSB), é líder em soluções tubulares premium e produz tubos de aço sem costura, fabricados em suas duas usinas integradas, em Belo Horizonte e Jeceaba, em Minas Gerais. Como fonte de matéria-prima e energia para seus processos siderúrgicos, possui duas subsidiárias: Vallourec Mineração, em Brumadinho (MG), e a Vallourec Florestal, que é formada por mais de 230 mil hectares de florestas plantadas no nordeste mineiro.

Além disso, a Vallourec possui uma filial com foco em tubos soldados de grande diâmetro e uma empresa especializada na prestação de serviços de revestimentos anticorrosivos – ambas localizadas em Serra, no Espírito Santo; e uma planta especializada em fornecimento de soluções e serviços para o mercado de Óleo e Gás – a Vallourec Transportes e Serviços (VTS), localizada no polo petrolífero brasileiro, em Rio das Ostras, no Rio de Janeiro.

No complexo do Parque Tecnológico da UFRJ está o Vallourec Competence Center – Rio. Um dos dois centros de centros de pesquisa, desenvolvimento e inovação instalados no Brasil. O outro se localiza em Belo Horizonte. 

Sobre o Parque Tecnológico da UFRJ

O Parque Tecnológico da UFRJ é um ambiente de inovação dentro da UFRJ que permite a interação entre a universidade – alunos e corpo técnico-acadêmico – e as empresas, transformando conhecimento em emprego e renda e oferecendo produtos e serviços inovadores para a sociedade. Inaugurado em 2003, o Parque ocupa uma área de 350 mil metros quadrados e abriga centros de pesquisa de empresas inovadoras, laboratórios da UFRJ, uma incubadora de empresas e espaços para desenvolvimento do empreendedorismo e inovação.

Hoje estão instaladas no Parque 70 instituições, sendo 16 empresas nacionais e multinacionais de grande porte, 8 pequenas e médias, 9 startups do programa CrowdRio, 28 residentes da Incubadora de Empresas da COPPE/UFRJ, além de 9 laboratórios da própria UFRJ. Será construído nos próximos anos o Centro de Referência Nacional em Farmoquímica, do Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos/Fiocruz), que irá fortalecer ainda mais as interações com a Universidade Federal do Rio de Janeiro. A Incubadora de Empresas da Coppe/UFRJ também faz parte do ambiente de inovação do Parque. Em seus mais de 20 anos de atividade, a Incubadora já apoiou a geração de mais de 90 empresas, responsáveis pela geração de mais de 1250 postos de trabalho altamente qualificados.  Em 2016 as startups residentes faturaram juntas, mais de 12 milhões de reais. Informações com Aline Calamara, Beatriz Correa e Daniele Lua nos tels: (21) 3733-1991/1846.

Coppe entrega certificados a unidades da UFRJ

Coppe entrega certificados a unidades da UFRJ 2017

A Assessoria de Gestão da Qualidade (Coppe-Q) da Coppe/UFRJ promove, dia 18 de setembro, a cerimônia de entrega de certificados Self-Audit a laboratórios e unidades da UFRJ que tiveram seus sistemas de gestão da qualidade, ambiental, segurança e de saúde no trabalho auditados em 2016. O evento será realizado, a partir das 10 horas, no auditório da Coppe, Centro de Tecnologia 2, na rua Moniz de Aragão, 360, Cidade Universitária. Localização do Google Maps.

Ao todo, 35 certificados Self-Audit serão conferidos pela Coppe-Q a 17 laboratórios e 18 unidades administrativas da universidade. Eles são divididos em cinco categorias: troféu bronze (1), platina (2), ouro (1), prata (12) e bronze (19).

Com essa edição, o programa Self-Audit atinge a marca de mais de 100 instalações certificadas. O modelo para a certificação de sistemas de gestão adotado pela Coppe começou a ser implantado nos anos 2000, pelo administrador Fernando Sepulveda, hoje diretor adjunto da Diretoria de Planejamento, Administração e Desenvolvimento Institucional da Coppe.

Os representantes de unidades e laboratórios candidatos à certificação elaboram, em sala de aula, o Sistema de Gestão a ser implantado nas instalações. Auditados conforme normas internacionais de gestão e o padrão Self-Audit da Coppe, esses sistemas são, em seguida, certificados. Os cursos são promovidos por meio de parceria entre a Coppe e a Pró-Reitoria de Extensão da UFRJ (PR-5).

As instalações são certificadas pela Coppe-Q, sob a coordenação de Luciana Lancellote, com base nas normas da International Organization for Standardization (ISO), agrupadas da seguinte forma: NBR ISO 9001:2015 (qualidade), NBR ISO 14001:2015 (normas ambientais), BS OHSAS 18001:2007 (segurança e saúde no trabalho).

14ª SEMANA CIENTÍFICA HESFA

14 Semana Cientifica HESFA 2017

A 14° Semana Científica HESFA 2017 que tem como tema “Multiprofissionalidade em foco: discutindo a vulnerabilidade de grupos sociais”, objetiva contribuir com a divulgação do conhecimento científico e o compartilhamento do conhecimento em formato e linguagem dirigidas aos gestores de saúde, pesquisadores, alunos, técnico-administrativos, docentes e representantes da sociedade civil, primando pelo formato sustentável e ético. Assim, o investimento se faz para qualificar o capital humano, ao disseminar o conhecimento, também do eixo norteador da prática clínica baseada em evidência científica e de acordo com as Políticas Públicas vigentes, a fim de subsidiar as tomadas de decisão por parte dos gestores e profissionais de saúde de um modo em geral.

Nesta décima quarta edição, propõe discutir temas até então, consoantes às Políticas Públicas e contextualizar o cenário político contemporâneo, contemplando os modelos de atenção à saúde relacionados à temática, considerando a territorialidade do cenário de atuação do HESFA, seus atores e a missão institucional, com a perspectiva de fomentar o uso de evidências científicas, nos contextos acadêmicos, técnico-assistenciais e de controle social.

Acrescenta-se isto, o incentivo ao intercâmbio das experiências acadêmico-científicas desenvolvidas nos serviços assistenciais, nos cursos de pós-graduação ofertados no HESFA, em parceria com outras unidades da UFRJ e externas a ela. Desta forma, estimula a divulgação.

De mesma forma, ao propor esta iniciativa, há reforço da missão institucional HESFA no campo de formação do profissional cidadão, já que a proposta se constitui numa grande oportunidade para o corpo social desta IES, no sentido da sua qualificação, tendo a oportunidade de ser agente de mudança, não só em relação às práticas cotidianas nos serviços, mas também, com a oportunidade de que estas sejam baseadas em evidências científicas e princípios éticos, assegurando a devida visibilidade.

Os temas HIV/Aids, Tuberculose, Câncer de Colo e Câncer de Mama tem relevância epidemiológica e desperta interesse no corpo social, na comunidade científica, e na comunidade em geral. Ao se propor a proposta do 14° Semana Científica do Instituto de Atenção à Saúde - HESFA, acredita-se que se pode contribuir de forma bastante significativa para trazer, apresentar, divulgar e compartilhar conhecimentos integrados que contemplem diferentes saberes, estimulando uma reflexão crítica qualificada a todos os envolvidos.

Nesse sentido, suas principais contribuições científicas e relevância consiste em:

a) promover a difusão e o fortalecimento da diversidade científica na regional, na medida em que é um evento aberto à toda comunidade acadêmica;

b)articular iniciativas de produção do conhecimento nos diversos cursos de graduação e pós-graduação da UFRJ, em especial os voltados para a área da saúde nas temáticas propostas;

c) promover o intercâmbio científico entre as Universidades e Centros de Pesquisa do Rio de Janeiro e dentro da própria UFRJ;

d) contribuir para a reflexão sobre as questões epidemiológicas e de pesquisa atuais com foco no HIV, Tuberculose e Câncer de Colo de Útero e Mama, tanto do ponto de vista teórico, quanto de agendas e ações estratégicas e como esta discussão poderá trazer proposições que possam agregar às ações assistenciais, de pesquisa e ensino desenvolvidas; 

e) criação de redes de colaboração e conhecimento interinstitucionais, fortalecendo a produção e difusão do conhecimento científico de caráter interdisciplinar acerca do eixo temático da proposta;

f) proporcionar diálogos entre instituições e investigadores no campo adstrito; 

g) ampliação dos impactos sociais e culturais através de ações integradas à temática.

(Dra. Márcia Pereira Alves dos Santos - Coordenadora de Cursos e Eventos DDAC/HESFA/UFRJ)

ECOFOTO TEM DEBATES, FILMES E OFICINAS

ECOfoto Tem Debates Filmes e Oficinas 2017
Das 84 fotografias enviadas à comissão julgadora, foram selecionadas 33 que estão expostas até o dia 10 de outubro, das 9 às 21 horas, no Espaço, localizado no 2º andar do prédio da Decania do CFCH, no campus universitário da Praia Vermelha. Além da exposição, o ECOfoto deste ano contempla uma ampla programação com debates, oficinas, exibições de filmes e lançamentos de livros. Nos dias 15 e 29 (os candidatos devem escolher apenas uma data), o fotógrafo Cícero Rabello, da Central de Produção Multimídia (CPM) da ECO-UFRJ, ensinará aos estudantes e demais interessados como obter imagens por meio de dispositivos que não utilizam lentes na Oficina de “Pin Hole”. Os interessados devem realizar inscrições prévias e levar o seu próprio material (caixas e latas com tampas e cartolina preta).

Já no dia 20 de setembro, às 9 horas, no Auditório Professor Manoel Maurício de Albuquerque, acontece o debate “Fotografia, periferia e memória”. Na ocasião, o professor Dante Gastaldoni, da Escola de Comunicação (ECO) da UFRJ, estará ao lado de fotógrafos formados na Escola de Fotógrafos Populares da Maré e que hoje atuam em diferentes coletivos e produtoras. São eles: Thaís Alvarenga, que atualmente atua no Coletivo Negras(fotos)grafias; Josy Manhães, que no momento trabalha no Curta Raízes Produções; e Luiz Baltar, que agora participa dos coletivos Favela em Foco e Folia de Imagens. 

No dia 21, a partir das 16h30, no Auditório Professor Manoel Maurício de Albuquerque, será realizada a mesa “A Experiência com as imagens: entre o artesanal e as novas tecnologias”, que terá a participação do professor Antônio Fatorelli, da ECO-UFRJ; Márcia Mello, pesquisadora, curadora e conservadora de fotografias; e o fotógrafo Renan Cepeda. 

No dia 4 de outubro, das 14 às 17 horas, no Auditório da Decania do CFCH (2º andar do prédio da Decania do CFCH) será exibido o filme “A beleza de cada um: J.R. Ripper”, seguido do debate “Cinema e Ciências Sociais”, que contará com a participação dos jornalistas e diretores do filme, João Roberto Ripper e Cecília Castro, além do cineasta Guto Neto. 

Também é parte da programação a edição do mês de setembro do boletim “Vitrine da Memória”, produzido pela Biblioteca do CFCH. O tema desta edição é “Imprensa Nacional: Apontamentos Históricos” e dialoga com o evento EcoFoto 2017 por meio de imagens e textos sobre o surgimento da imprensa no Brasil como, por exemplo, os primeiros jornais produzidos no país, a censura, as máquinas de produção, os locais de trabalho e os trabalhadores. 

 

Confira abaixo a programação detalhada:

 

Exposição ECOfoto – 7º Concurso Nacional de Fotografias

Organização: ECO e CFCH-UFRJ

Até o dia 10 de outubro.

Horário: das 9h às 21h.

Local: Espaço Memória, Arte e Sociedade Jessie Jane Vieira de Souza (2º andar do prédio da Decania do CFCH, no campus universitário da Praia Vermelha).

Aberta ao público.

 

Mesas redondas com lançamento de livros:

- “Fotografia, periferia e memória” 

Data: 20/09

Horário: das 9h às 12h. 

Local: Auditório Manoel Maurício de Albuquerque – CFCH/UFRJ

Palestrantes:

• Dante Gastaldoni - Professor de Fotojornalismo da Escola de Comunicação/UFRJ e Coordenador Acadêmico da Escola de Fotógrafos Populares da Maré

• Thais Alvarenga - formada pela Escola de Fotógrafos Populares, atualmente do Coletivo Negras(fotos)grafias

• Josy Manhães - formada pela Escola de Fotógrafos Populares, atualmente do Curta Raízes Produções

• Luiz Baltar – formado pela Escola de Fotógrafos Populares, atualmente do Coletivos Favela em Foco e Folia de Imagens

 

- “A experiência com as imagens: entre o artesanal e as novas tecnologias”

Data: 21/09

Horário: das 16h30 às 18h30

Local: Auditório Manoel Maurício de Albuquerque – CFCH/UFRJ

Palestrantes:

• Antonio Fatorelli - Fotografia contemporânea brasileira: o acervo Midiateca da Escola de Comunicação/UFRJ.

• Márcia Mello - Artesania fotográfica: sobre a mostra em cartaz no Espaço Cultural BNDES.

• Renan Cepeda - O fotógrafo apresenta e comenta algumas das suas fotografias.

 

Curta com debate:

“A beleza de cada um: J.R. Ripper” (Brasil, 2016), direção de Cecília Castro e João Paulo Ripper, 15minutos.

Debate “Cinema e Ciências Sociais”

Palestrantes:

- João Paulo Ripper – Jornalista e diretor do filme.

- Cecília Castro – Jornalista e diretora do filme.

- Guto Neto, cineasta.

Data: 4/10

Horário: das 14h às 17h.

Local: Auditório da Decania do CFCH - 2o andar da decania do CFCH-UFRJ

 

Oficinas de “Pin Hole” (imagens obtidas em dispositivos que não utilizam lentes)

Data: 15 e 29/09 (os candidatos devem escolher apenas uma data).

Horário: das 13h às 17h30

Local: Laboratório fotográfico da Central de Produção Multimídia (CPM/ECO-UFRJ)

Coordenador:

• Cícero Rabelo – Fotógrafo da Escola de Comunicação/UFRJ

(Os interessados que tiverem suas inscrições confirmadas deverão trazer o material necessário: caixas ou latas com tampas e cartolina preta)

Vagas limitadas. 

Clique aqui para acessar o formulário e realizar a inscrição.

 

Visitas guiadas 

De terça-feira a quinta-feira, das 14h às 18h.

Local: Espaço Memória, Arte E Sociedade Jessie Jane Vieira de Souza - 2o Andar da Decania do CFCH/UFRJ.

Devem ser agendadas previamente através do email: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Vitrine da Memória sobre a Biblioteca do CFCH

A edição de setembro do boletim produzido pela Biblioteca do CFCH tem como tema “A imprensa nacional: apontamentos históricos”. Nela estão imagens e textos sobre o surgimento da imprensa no Brasil como, por exemplo, os primeiros jornais produzidos no país, a censura, as máquinas de produção, os locais de trabalho e os trabalhadores.

Clique aqui para acessar o Blog da Biblioteca do CFCH 

 

Programação em anexo.